Lagos Andinos 2010 - Uma nova jornada pela Patagônia - Argentina, Chile, Patagônia AR e CH,

Relato de expedição realizada entre 14/01 e 19/02 de 2010 tendo como objetivo principal recorrer alguns dos mais belos lagos da América do Sul.

 

A galeria de fotos completa está no rodapé do relato.

14/01 – Saímos de Mutum por volta das 13:00h, estrada ruim, queríamos fazer logo o trecho que sabemos ser sempre o pior de todos, Mutum a Rondonópolis. Tivemos algumas paradas pequenas em função de consertos na rodovia e uma de 1:30h em função de um acidente. Ao escurecer já estávamos em Roo.

Estrada parada próximo a Rondonópolis

 

15/01 – Saímos cedo de Rondonópolis com destino a Toledo-PR. Tínhamos que chegar até a noite pois estávamos de revisão marcada para sábado pela manhã na Toyota. Tudo correu tranquilo, chegamos no começo da noite.

 16/01 – A viatura ficou pronta às 10:30h, pegamos a estrada e fomos almoçar já dentro da Argentina, entrando por Foz, aduana super tranquila, não levamos 10 minutos para todos os trâmites. Também aproveitamos e fizemos câmbio, agora era estrada. Chegamos em Posadas bem cedo e nos alojamos.

Igreja e Praça em Posadas-AR

 

17/01 – Rodamos o dia inteiro e fomos dormir em Villa Maria, muito bacana a cidade e com uma praça central show. Passamos por um trecho bem deserto, costeando o rio Paraná.

,

Abastecendo em San Miguel

 

18/01 – De Villa Maria fomos até San Rafael, fizemos uma pequena parada em San Luis para tentar comprar pneus, onde ficamos sabendo que BFs aro 17 estão sem estoque por toda a região. Em San Rafael a cidade estava muito cheia e levamos cerca de 2hs para achar uma hospedagem. Aproveitamos e fomos à secretaria de turismo para planejar a subida à Laguna Diamante.

19/01 – Cedo na estrada, pegamos a Ruta 150 até encontrar a Ruta 40, para depois entrar na 101 e aí sim pegar a estrada da reserva. Paga-se o equivalente a R$ 23,00 para entrar com o carro, são cerca de 40km da entrada até a Laguna, caminho de estrada ruim mas visual muito belo. A Laguna fica aos pés do Vulcão Maipu, de águas azuis e um tom fascinante. Também vimos alguns pescadores tentando pegar uma das 3 espécies de truta que existem por lá.

Em volta da laguna tem cerca de 10km de passeios para fazer com o carro e também alguns possíveis somente à pé. Dali também segue uma estrada que vai ao Chile, mas o paso estava fechado. Começamos o retorno por volta das 16:00h, voamos pela 40 descendo até encontrar o asfalto e dali somente mais uns 120km até Malargue, onde pousamos.

Chegando na Laguna Diamante

 

Laguna Diamante e Vulcão Maipú

 

20/01 – Dia da preguiça, acordamos tarde depois de uma janta com chivito e vinho. Fomos a Castillos de Pincheira, cerca de 30km de Malargue, onde mais uma vez saboreamos um chivito, desta fez costelas ao forno, fantástico. Passamos a metade da tarde por lá e depois voltamos para dar uma geral na viatura e dar um rolê pela cidade.

Castillos de Pincheira

 

21/01 – Após um café no YPF, pegamos a 40 novamente até encontrar com a RP222 e seguir em direção à Las Leñas. Para ida fomos por um caminho alternativo, de chão, pela direita do rio, estrada esta que consta nos mapas do Viajeros e passa pela Laguna de La Niña Encantada, após isso ela encontra novamente a 222 em Los Moles. Após a travessia fomos visitar o centro de esqui e comprar uma água para enfrentar a estrada até o Vale Hermoso. Cerca de três horas depois já estávamos na beira da lagoa, não sem antes ficar um tempinho contemplando o vale do mirante que fica antes da descida. Simplesmente fantástico o visual, chegando lá fomos percorrer todo o vale e depois voltamos à laguna, nos registramos e armamos acampamento, fomos brindados com um belíssimo por do sol, incrível o visual. Lá pelas 22:00h porém começou uma ventania que durou até cerca de 01:30h da manhã, parecia que iria arrancar a barraca do teto do carro, rsrsrs.

Valle Hermoso

Piazada jantando

 

22/01 – Logo cedo um café da manhã na beira do lago, mais umas fotos, era hora de arrumar as tralhas e colocar o pé na estrada. Ainda pela manhã saímos do Vale e umas duas horas após estávamos cruzando novamente Las Leñas. Desta vez seguimos pelo asfalto até encontrar a RN 40. Após isso fomos a El Sosneado degustar o famoso sanduíche de Jamon Crudo, iguaria espetacular e imperdível a quem passa pela região. Após isso fomos atrás de algumas informações para o dia seguinte e rumamos novamente a Malargue, onde ainda aproveitamos o fim da tarde para lavar roupa.

Amanhecer na Laguna do Vale Hermoso

 

23/01 – Café e cedo na estrada novamente a El Sosneado, desta vez para pegar o caminho de rípio que vai até as Termas abandonadas. 40km depois de El Sosneado já estávamos na laguna de mesmo nome e mais uns 25km após encostávamos nas termas. Ficamos por volta de duas horas por lá, é uma atração diferente, rúinas de um hotel, gente acampando em tudo que é canto, piscinas de uma água azul, sempre acompanhada daquele cheiro característico de enxofre. Seguimos mais um pouco a estrada, visitamos uma espécie de alagado e depois paramos num refúgio só pra esquentar uma água e pé na estrada para retornar. Lá pelas 16:00h estávamos novamente em El Sosneado e agora era ir em direção ao sul, rodamos até quase anoitecer e fomos dormir em Barrancas, pequeno povoado na Ruta 40. Nossa intenção era fazer um caminho alternativo no próximo dia até chegar em Chos Malal, subindo pelo vale do Rio Barrancas e descendo pelo vale do Rio Neuquen, mas ao chegar na cidade fomos informados que o caminho estava cortado devido à deslizamentos e até o momento não tinha sido restaurado.

Hotel Abandonado e Rio Atuel

Laguna na Ruta 40

 

24/01 – Bom, com a mudança de planos devido ás informações do dia anterior, agora era rodar o dia para adiantar o roteiro. Ficamos quase o dia todo na Ruta 40, fizemos apenas um desvio após Zapala para conhecer o Parque Laguna Blanca, recomendo, o visual é show e o caminho após o parque até encontrar novamente a 40 é fantástico, boa parte desce margeando rios belíssimos. Após pegarmos a 40 foram-se mais uns 80km até Junin, sempre com visuais bacanas, destacando-se os kms finais onde a descida do vale é incrível.

Vale aqui mais um adendo, antes de Zapala paramos em Las Lajas, na saída mais precisamente, para um almoço. Foi no “Dom Pedro”, um parador ao lado de um YPF, lugar descolado, estradeiro, atendimento nota 10 e uma comida fantástica, um daqueles lugares bem peculiares que marcam, podem conhecer que é show.

Na Ruta 40

Rio Catan Lil

 

25/01 – Hoje foi o dia de conhecer o Parque Lanin e seus arredores, logo cedo pegamos a estrada que vai em direção à base do vulcão, a mesma que usa-se para entrar no Chile na altura de Pucon.A estrada é muito bacana, aproveitamos pra conhecer também o Lago Tromen que fica próximo.Após isso fomos conhecer o Lago Huechulafquen, de águas belíssimas e um visual fantástico, sempre com o Lanin completando o cenário, passamos o dia todo percorrendo seus arredores.

Lago Huechulafquen

Lago Tromen

 

 

26/01 – Esse dia foi dedicado inteiramente para conhecermos o caminho dos 7 lagos, que liga a cidade de San Martin de Los Andes a Villa La Angostura. Roteiro imperdível, visuais incríveis, meio coisa pra turista ver mas vale a pena. Rodamos o dia todo e chegamos em Angostura no final da tarde onde nos alojamos por dois dias, assim não precisaríamos dormir em Bariloche e seu corre-corre.

Cascata no Caminho dos 7 Lagos

Caminho dos 7 Lagos

 

 

27/01 – Dia todo nos arredores de Angostura, subimos ao centro de esqui mas estava fechado, fizemos algumas caminhadas, conhecemos cachoeiras, fomos também fazer a trilha do parque Los Arrayanes, show de bola o lugar.

Lago Nahuel Huapi - Villa La Angostura

 

 

28/01 – Bem cedo na estrada, o roteiro de hoje era conhecer todos os arredores de Bariloche sem precisar pousar por lá, rodamos o dia todo percorrendo o Lago Nahuel Huapi, Llao-Llao, Lago Moreno, Colonia Suiza, Cerro Catedral, fizemos algumas caminhadas também e terminamos o dia na beira do Lago Gutierrez num camping bem bacana, Los Baqueanos, e ainda fomos presenteados com um luar belíssimo sobre o lago.

 

 

Lago Gutierrez sob o luar

 

 

29 e 30/01 – Hoje o destino era o parque Los Alerces, mas primeiro fizemos um desvio para conhecer os Lagos Hualahue e Steffen, após algumas horas estávamos novamente na 40, logo após mais um desvio em El Bolsón para conhecer o Lago Puelo e agora era rodar até o parque, acabamos ficando por duas noites no Los Alerces, visuais bacanas e uma trilha leve no encontro dos lagos que é show, primeiro se atravessa uma ponte suspensa e daí começa uma caminhada de cerca de 2 horas onde se bordeia os lagos Menendez, Lago Verde e Lago Futalaufquen e também é possível avistar o pequeno Glaciar de Torrecillas. No dia 30 bem cedo também aproveitei e fiz a troca de óleo do carro em Esquel.

Vale aqui também mais uma dica, na saída do parque, pra quem se dirige ao sul, tem um camping muito bacana, Los Maitenes, fica encostado no vilarejo de Futalaufquen.

Belíssimo vale no caminho para Esquel

Lago Verde - Parque Los Alerces

 

 

31/01 – O trajeto do dia era nos deslocarmos pela Ruta 40 até pegar a estrada que entra no Chile por Paso Roballos e após isso até Cochrane-CH. Uns 50km antes de Perito Moreno começou um barulho no carro, algo roçando e foi aumentando e sempre sentia-se quando a suspensão trabalhava, pensei que os 650kg de carga no carro tivessem resolvido cobrar seu preço, como era um domingo fomos somente até PM e resolvemos ficar por lá para na segunda dar uma averiguada.

Ruta 40

 

 

01/02 – Logo cedo fui atrás de um mecânico na cidade pra ver se encontrávamos o problema. Coloquei o Sr. Castro no carro e fomos dar um giro, voltamos, carro na rampa e dar uma geral. Foram-se umas duas horas fuçando e andando com o carro e nada, por fim acabamos encontrando uma pequena pedra que se instalou entre o chassi e o acabamento do parachoques traseiro, fazendo com que qualquer movimento devido ao trabalho dos coxins fizesse um barulho muito estranho. Bom, menos mal que não tinha nada com a viatura, problema resolvido e pé na estrada. Atravessamos o Paso Roballos por volta das 15:00h e no final da tarde já estávamos rodando em Cochrane, mais uma vez na Carretera Austral, agora conheceríamos ela no sentido inverso.

Vale aqui um comentário, é a 2ª vez que atravessamos o Paso Roballos, é um lugar fantástico, vale por si só a travessia, estradas mais desertas com visuais muito bacanas. Em 2007 conhecemos a região por indicação do Marcelo da Gaia e recomendo a todos que estiverem nas redondezas.

Lago Ghio

Vale Chacabuco

 

 

02/02 – O roteiro de hoje era o trajeto da Carretera que liga Cochrane a Villa O’Higgins, como tem horário de balsa fixa para atravessar o Fiorde de Mitchell, a primeira parte foi um pouco mais apressada, após isso era só curtir. Aproveitamos também e conhecemos a estrada que liga a região com o Paso Rio Mayer, queríamos informações sobre travessia com carros, infelizmente nessa época não é possível devido à altura das águas, mas segundo os carabineros que lá vivem, no inverno e épocas de baixa é possível sim cruzar ali e entrar na Argentina. Mais um motivo para voltar a região agora em outra época. Também tentamos conhecer a estrada que está sendo feita para chegar no Ventisquero Montt, mas logo no começo encontramos um batalhão que está trabalhando na construção e fomos informados que não está concluída e o acesso está interrompido na beira de um rio mais à frente. No fim da tarde chegamos à Villa O’Higgins e nos instalamos, onde acabamos ficando por duas noites, apesar de não ter muitos atrativos no local. Fomos atrás de informações para se possível fazer no dia seguinte o passeio de barco até o Glaciar O’Higgins, até tinha lugar e era o dia certo do barco, mas achamos terrivelmente caro o passeio, não me recordo de valores exatos mas chegaria próximo a 500 dólares para nós 4, impraticável para nosso orçamento.

Carretera Austral - próximo a Caleta Tortel

Carretera Austral - próximo a Villa O'Higgins

 

 

03/02 – Dia de coçar, dia do descanso, sono até mais tarde, passeios locais, uma boa caminhada e só, passamos o dia na Villa O'Higgins, ficamos numas cabanas espetaculares na entrada da cidade, deu vontade de ficar uma semana por lá, show. Aproveitei também para dar uma reorganizada na viatura.

Villa O'Higgins

 

 

04/02 – Agora era rumo ao norte, toda a Carretera nos esperava, saímos cedo de Villa O’Higgins com destino a Puerto Tranquilo, estrada fantástica sempre bordeada por lagos belíssimos e pelo também belíssimo Rio Backer. Por volta de 16:00h chegamos em Puerto Tranquilo, após isso aproveitamos para fazer um bate-volta pela Ruta dos Glaciares, nome pela qual é conhecida a estrada que vai até o Glaciar Exploradores. O glaciar em si não é algo espetacular, mas a estrada é charmosa e o visual que se tem lá de cima do mirante para o Lago Bayo é muito bacana. Chegamos de volta a Puerto Tranquilo já escuro.

Lago General Carrera

Glaciar Exploradores

 

 

05/02 – O roteiro de hoje previa somente o deslocamento até Coyhaique, mas por um trajeto alternativo, pegamos uma estrada que sai à direita um pouco antes da Villa Cerro Castilho e termina em Puerto Ibañez, passando pelos saltos do mesmo nome. Estrada essa que passa por vários lagos também, porém um trajeto para ser feito somente por 4x4, tem algumas subidas bastante íngremes e com rípio solto. Chegando em Puerto Ibañez fomos fazer um passeio pelo vilarejo e paramos para fazer um lanche, pegamos uma mesa num café chamado Camello Patagon e comecei a indagar sobre o que tinham pra comer, pra minha surpresa a figura olhou pra mim e disse “olha só, vou poder atender vocês só se falarem português, pode ser?”, kkkkkkk, que surpresa, achamos um paulista morando numa cidade de cerca de 1.000 habitantes no meio da patagônia chilena, pois é, conhecemos hoje o Renné, figura fantástica, gente boa demais, além de fazer uma comida no capricho. Pra quem for para a região vale a pena uma visita, ele conhece a fundo a região e se colocou a disposição a ajudar quem precisar de informações.

Após isso estrada novamente rumo a Coyhaique, por volta das 18:00h já estávamos na cidade onde iríamos ficar por três noites.

Saltos del Rio Ibañez

Brazuca gente boa que encontramos em Puerto Ibañez, grande abraço Renné

 

 

06/02 – Mais um dia chuvoso, pela manhã aproveitei para fazer a troca de pneus, no Chile tem muitas opções para aro 17 e sempre num preço camarada. Pela tarde fomos até Puerto Aisen e Puerto Chacabuco e na volta viemos fazendo alguns caminhos alternativos margeando o Rio Simpson.

Rio Simpson - estrada de Coihaique a Puerto Aisen

Vista de Coihaique, o mau tempo deu uma pequena trégua

 

 

07/02 – Com o tempo um pouco melhor, hoje fomos conhecer o caminho dos lagos perto de Coyhaique, caminho este que começa praticamente dentro da cidade e termina na localicade de El Blanco. Vale a pena, os visuais são muito bacanas, principalmente no lago La Paloma (não confundir com Lago Paloma que fica próximo) e um pequeno caminho que o liga com o Lago Monreal e segue até encontrar a estrada que vai a El Blanco. Atenção com este caminho, também recomenda-se somente veículos 4x4. Ah, mais uma dica, chegando no lago Elizalde, num lugar onde tem uma espécie de telefone público na beira da estrada, tem um casal que produz um queijo colonial espetacular, quem deu a dica foi o amigo brazuca.

Lago Paloma

Lago Montreal

 

 

08/02 – Novamente chovendo, hoje fizemos o trajeto de Coyhaique a La Junta, pretendíamos acampar no Parque Quelat mas o tempo não animou, tudo fechado e mais uma vez não pudemos avistar o Ventisquero Colgante. Na travessia do Parque Quelat nos chamou a atenção o grande número de bicicletas circulando, nós com carro parecíamos um objeto estranho na estrada tamanho era o número de ciclistas, impressionante, aliás por toda a carretera foi grande o número de viajantes nessa modalidade.

Também conhecemos o antigo trajeto da Carretera Austral, caminho esse que passa pela Villa Ortega, e também fomos conhecer Puerto Cisnes, os dois passeios sem grandes atrativos.

Tempo fechado sempre nos acompanhando, Canal Puyuhuapi

 

 

09/02 – O roteiro previsto para hoje seria um bate-volta em Chaiten, para tentar cancelar a balsa que compramos para dois dias após, que foi a única disponível para chegar em Hornopirén, e posteriormente dormiríamos em Futaleufu. Para nossa sorte, conseguimos trocar a balsa para o dia de hoje mas com outro destino, Isla de Chiloé, parando na cidade de Quellón. Adiantaríamos dois dias e conheceríamos um lugar diferente. Chegamos em Chaitén por volta das 13:00h, o escritório da Naviera Austral só abriria às 15:00h, aproveitamos o tempo para almoçar e dar um giro na cidade que foi devastada por uma erupção vulcânica tempos atrás. Após a troca dos bilhetes, o negócio era esperar, balsa prevista para sair as 19:00h acabou atrasando em duas horas e meia e chegamos a Quellón após as 01:00h do dia seguinte.

Abri um relato à parte para postar fotos detalhadas da devastação que a erupção causou em Chaitén, clique aqui

Lago Yelcho

Imagens da destruição em Chaitén

 

 

10/02 – Hoje acordamos meio tarde em função do horário avançado de ontem, mas por volta de 14:00h já estávamos na balsa novamente atravessando o Canal de Chacao para seguir em direção à Pucón. Bom, terminava hoje nossa expedição em si, daqui para frente seria mais coisa de turista mesmo, fomos até Pucón onde acabamos ficamos por dois dias, pra dar aquela descansada e recarregar as baterias pra depois pegar a estrada para casa, não sem antes dar uma passada no Lago Llanquihue.

 

 

11 e 12/02 – Dois dias coçando e passeando pelos arredores de Pucón (mais coçando do que passeando, rsrsrs), dois dias previamente negociados com a patroa para compras de lembranças, gastronomia mais caprichada, passeios pela cidade, curtir a praia (estava um calor daqueles), esse tipo de coisa. Também fomos rodar por umas estradinhas secundárias próximo ao Vulcão Villarrica, foi show. Mais um lugar que também fomos conhecer que tínhamos deixado para trás foram as Cuevas Vulcânicas, também nas proximidades, na época não tínhamos ido em função do valor que achei demais pelo passeio, mas desta vez resolvemos arriscar, mas olha, bem meia-boca a visita, não vale a pena, mas tudo bem, pelo menos matamos a curiosidade.

Explorando os arredores do Vulcão Villarrica

Fomos presenteados com esse belíssimo pôr do sol sobre o Vulcão Villarrica

 

 

13/02 – Saímos cedo de Pucón e fomos dormir já na Argentina, na cidade de Uspallata. Desta vez fizemos o caminho convencional, pelo túnel Libertadores.

Voltando à Argentina - Paso Libertadores

 

 

14/02 – De Uspallata a San Francisco, novamente cedo na estrada, além do deslocamento fomos conhecer a Bodega Família Zucardi nas proximidades de Mendoza, como comercializamos alguns produtos deles aqui no Brasil aproveitamos para fazer uma visita, show de bola o lugar, claro que o carro saiu ainda mais pesado de lá.

Lago Potrerillos, caminho de Uspallata a Mendoza

 

 

15/02 – Deslocamento de San Francisco-AR a Foz do Iguaçu, dia bastante puxado, rodamos cerca de 1300km, chegamos em Foz por volta de 22:00h.

 

 

16/02 – Pela manhã fomos fazer um giro pelas Cataratas, já estive algumas vezes em Foz mas meus piás ainda não conheciam, claro que novamente fizemos o passeio debaixo d’água, rsrsrs. Pela tarde nos deslocamos até Toledo onde no próximo dia seria feita uma revisão na viatura.

 

 

 

 

 17/02 – Revisão feita, agora era estrada, saímos de Toledo no final da manhã e fomos dormir em Rio Verde-MS.

 18/02 – De Rio Verde a Cuiabá-MT, chegamos no meio da tarde e por aqui ficamos para no dia seguinte resolver algumas coisinhas.

 19/02 – Dia todo em Cuiabá, fiz novo balanceamento dos pneus, como em Toledo na revisão fiz o rodízio, aconteceu que os pneus traseiros não estavam 100% e como foram passados para a direção vibrou muito durante o trajeto. No final do dia pegamos meu irmão no aeroporto e agora o próximo passo era chegar em casa, o vôo atrasou um pouco, após isso fomos ainda jantar e depois estrada até Mutum, chegamos por volta da 01:00h do dia seguinte, é, agora é ralar para o próximo ano poder rodar por aí novamente. FIM

Alguns dados:

KM total: 15.709 (real - gps) e 15.197(odômetro)

Consumo: 2.323 litros de diesel = 6,76km/lt

 

 

Abraços e até a próxima

 




Arquivos Mapas/GPS



Imagens - Lagos Andinos 2010 - Uma nova jornada pela Patagônia _ Jeison Krauspenhar

© 2009 - 2017 Viajantes 4x4 , Todos os Direitos Reservados