Serra do Tepequém - Roraima - Brasil - Parte 1 - Norte,

Relato de viagem à Serra do Tepequém - RR

1ª Parte - Quando tudo conspira contra.

 

 

Sexta feira 13.

Dois gatos pretos cruzam seu caminho na rua?

O que você faria?




Nós decidimos viajar ao Tepequém.

Na ansiedade de limpar o terreno das futuras instalações de um base camp para overlanders em Roraima, decidimos viajar na sexta-feira à noite mesmo. Assim o sábado seria aproveitado desde os primeiros raios solares.

Land Cruiser carregada. 05 pessoas, 02 cachorros. Panelas, fechaduras de porta, pá, enxada, rastelo, barracas, comida, roupa, ferramentas. Quase tudo.

Saímos de Boa Vista por volta das 20 horas. 206km de viagem em asfalto. Depois que o governo resolveu pavimentar a estrada, muita coisa mudou no Tepequém.

Tudo corria bem. Bagagem apertadamente acomodada. Shitzu (Thor) nos pés da Carol, vira-lata (Rocki) no cantinho espremido do porta malas. E assim a distinção social também se fazia presente no mundo cão. Quem pode viaja na primeira classe…

Boa Vista… trevo no km 100… Amajari… menos de 30 km do destino final.

Eis que de repente… tudo aceso no painel!!! Uia!!! Que isso? Quantas luzes!!!

Para. Encosta. Sinaliza a estrada com galhos. Sabe como é, à noite todos os gatos são pardos. Ou seriam pretos? Segurança em primeiro lugar, sempre.

Agora eu vi… aliás, agora se foi. Lá se foi a correia do alternador. Epa!!!

Olha melhor… abre o olho japonês!!!

A correia continua ali, mas está fora da polia.

Correia que gira a bomba de água e o alternador. Logo, não há chance de continuar o percurso sem ela. Subir a serra sem bomba de água não seria uma experiência muito agradável para o motor.

Pane simples, resolvida em poucos minutos… desde que se tenha a correia reserva.

Primeiro gato preto.

Os japoneses são tão inteligentes que a Toyota providenciou não apenas uma. Mas DUAS correias de alternador e bomba de água. Isso é, há espaço para instalação de duas correias em paralelo nas polias, justamente para não parar o carro caso um delas arrebente.

Mas cadê a segunda correia?

Óbvio que o dono antigo não tinha as duas correias instaladas no local. Na verdade tinha meia. Pois aquela estava totalmente gasta. Na lona. Por isso pulou fora das polias.

Nas primeiras fotos...

Pane na estrada

Estado da correia

 

 

O Fator Complicador (FC).

O mecânico que costumava fazer a manutenção não devia ser muito observador e cuidadoso. O parafuso do esticador do alternador estava “empenado”. Ao montar o sistema ele inverteu uma das pequenas peças e assim desalinhou. Loooooógico que quando tentei remover o parafuso para instalar novamente a correia… o parafuso quebrou!!!

Segundo gato preto.

Não costumo carregar parafusos reserva. Dessa vez, nem correia reserva eu tinha.

Carro novo… ansiedade… tempo apertado na agenda. Resultado: revisão inadequada da viatura e planejamento inadequado da viagem de última hora.

Solução?

Procurar outro parafuso do carro, que não seja essencial, e que tenha a mesma rosca e comprimento.

Novamente se faz presente a inteligência nipônica. O ar condicionado também tem um esticador. E esse usa um parafuso igual ao esticador do alternador!!!! Apenas um pouco mais comprido. Perfeito!!! Voilà!!!

Aliás, parênteses para uma obervação. A Toyota costuma utilizar as mesmas peças em todos os carros. Os relês de farol por exemplo são comuns a Hilux, SW4, Land Cruiser, Corolla antigo, Camry, etc. Assim como compartilham correias, esticadores… fantástico!!! Facilita muito a vida de quem anda “pela estrada”.

Da mesma forma, entre as montadoras japonesas existem várias peças comuns. Filtros de ar, combustível, óleo, rolamentos, etc.

Fecha parênteses.

Parafuso resolvido.

Tentei instalar a correia antiga novamente várias vezes. Sem sucesso. Como não havia mais borracha, ela pulava for a o tempo todo. Unf…

E agora José?

Improviso Magaiver.

- Carol, você tem meia calça?

- Não, pra que você quer uma meia calça?

- Questão de sobrevivência. Depois explico. Não tem nada parecido?

- Tenho um biquini, serve?

- Serve!!! Empresta?

E lá fomos nós improvisar uma correia com a alça do biquini.

Uma breve faísca de esperança.

Nó daqui, amarra ali, estica lá.

Liga o carro. Vrum…. Magiacamente as luzes do painel se apagam. Funciona!!!

Sento no banco do motorista. Ligo os faróis.

Nada. Escuridão total.

Terceiro gato preto.

Ué, mas não eram só dois?

Cadê as luzes? Alternador funcionando… checa fusível, tudo em ordem. Parece que alguém não queria nos deixar subir a serra naquela noite.

Sem descobrir o problema elétrico e sem muitos recursos, decidimos andar para checar como se comportaria o biquini. Se funcionasse, ainda que devagar e contando com a luz das estrelas seria possível chegar ao Tepequém.

Duas lanternas de cabeça amarradas no parachoques foram suficientes para clarear o essencial. E assim andamos 08km… a 30km/h. Atravessamos ponte de madeira, cortamos uma boiada e lá fomos nós!!!

Na beira da estrada identificamos o acampamento base da empresa que atualmente mantém as obras de pavimentação na rodovia. Tudo escuro. Todos dormiam.

Nesse exato momento a gambiarra começou a falhar e as luzes acenderam de novo. Desistimos. Subir a serra daquele jeito seria impossível. E depois de todos os avisos resolvemos aceitar o recado.

Pela relativa segurança do local, optamos por dormir ali mesmo no acostamento, em frente ao acampamento.

Duas da manhã. Cinco pessoas e dois cachorros amontoados na classe econômica da Land Cruiser.

ZZZZzzzzzz.....

Parafuso do esticador quebrado

Carol matutando se emprestaria o biquini

Correia alternativa no lugar

 

 

Cocoricó!! O galo cantou.

Seis da manhã. Alvorada.

Começa a atividade no acampamento. Meia hora depois os trabalhadores começam a se deslocar para cada canteiro de obra na rodovia.

Resolvo criar coragem e mundo procuro um dos responsáveis locais. Peço ajuda.

Forças da Providência.

Encontramos uma correia. Escondida em meios as sucatas da ex-oficina. Usada, com alguns dentes a menos. Nossa salvação. Aperta aqui, afrouxa ali, estica, puxa.

Entrou. Muito justa. Precisei usar a tática de guiar com chave de fenda enquanto se gira o virabrequim empurrando o carro engatado… mas enfim, sucesso!!!!

Fato curioso: Por que a gambiarra falhou justamente em frente ao acampamento? Pense bem, andamos 08km. E de repente falhou... nem 1 km antes, nem 1 km depois.

Finalmente...

07:13 14 de agosto de 2010.
Correia no lugar, alternador e bomba de água garantidos.

Faróis? Já era dia. Não eram mais necessários. Resolvemos terminar de subir a serra. Menos de 20km nos separavam do desejado conforto de nossa barraca. E lá fomos nós…

Correia salvadora

Profissão mecânico

Correia salvadora no lugar

 

 

E assim chegamos ao Tepequém…

Começaremos a exposição pela série:

“Animais do Tepequém” – By Thiago Chegado

 

 

 

A Serra do Tepequém continua linda!!!

Fotos:

Vila do Tepequém vista de cima

Flores

Land Cruiser no seu primeiro banho

A árvore

Água

 

 

O objetivo da viagem:

Roraima Overlanders Expedition House - ROEH

Um singelo local em meio a Serra do Tepequém, no paradisíaco estado de Roraima, território do mais belo Brasil!!!

206 km de distância da capital Boa Vista / RR.

Destinado a receber viajantes, em 4x4, a pé, de bicicleta... moto, patinete, avião... pessoas que compartilhem da experiência VIAJAR.

Pessoas que compartilhem o cuidado e a admiração pela natureza!!!

Cachoeiras, treeking, observação de pássaros, trilhas off road, entre várias atividades.

Aos poucos pretendemos estruturar o local. Mais informações em breve.

Inclusive foi inaugurado no último final de semana por um ilustre casal já conhecido no meio "overlanding" brasileiro!!!

Cenas do próximo capítulo...

Todavia já adianto. Será um prazer recebê-los por aqui!!!

 

 

 

Bom, mais uma viagem inesquecível para o currículo!!

Moral da história:

Nunca subestime uma sexta-feira 13. Principalmente se cruzar com gatos pretos.

Gatos pretos tem 7 vidas e podem se multiplicar indeterminadamente.

Então, aprendi.

A partir de hoje, eu respeitarei as escadas. E já comprei meu pé de coelho.

Se alguém tiver uma mudinha de trevo de 04 folhas, por favor me avise.

Os faróis? Problema de relê. Identificado numa calma noite de quarta-feira na semana passada… instalei um relê paralelo provisoriamente e tudo claro novamente.

Últimas fotos:

Acampamento

Acampamento

Um abraço do autor que vos escreve, e do Rocki - o Cão da Maloca

 

 

Não deixe de ler a 2ª parte aqui: link

 

 

 

 






© 2009 - 2017 Viajantes 4x4 , Todos os Direitos Reservados